banco de sangue
blog

22/09/2017

Quem fez tatuagem ou usa piercing pode doar sangue?

Visualizações: 100

Doar sangue é um ato muito importante, que pode salvar vidas e, além disso, gerar sentimentos de bem-estar para quem doa. No entanto, existem alguns casos que impedem definitiva ou temporariamente a doação. Um dos mais comuns é a questão de tatuagens e de piercings.
Nesse texto, vamos procurar explicar, de maneira básica, quais a peculiaridades desses casos.

Tatuagem
Quem fez uma tatuagem precisa aguardar por pelo menos 12 meses para fazer uma doação de sangue, por conta do procedimento. Esse prazo é regulamentado por uma portaria do Ministério da Saúde. Mas e por que ele existe?
As regras de doação são para preservar a segurança, tanto de quem doa, quanto de quem receberá o material doado. O prazo específico de 12 meses para quem fez tatuagem é necessário porque a pessoa pode ter contraído algum vírus na hora de fazê-la.
Isso não significa que o procedimento de tatuar não seja seguro. É que o Banco de Sangue não tem como avaliar se todos os estabelecimentos que fazem tatuagens seguem todas as regras de assepsia, por isso se faz necessária a espera.

Piercing
No caso da colocação ou retirada de piercing, a regra é bastante semelhante a quem fez tatuagem. É preciso aguardar 12 meses após o procedimento para fazer a doação.
Mas atenção, quem possui piercing na mucosa oral ou genital está impedido de doar sangue, pois estes locais de forma natural contém muitas bactérias ( flora normal) podendo ir para corrente sanguínea e prejudicar o receptor do sangue.

E maquiagem definitiva?
Pelo procedimento da maquiagem definitiva ser muito semelhante ao da tatuagem a regra a ser seguida também é a do prazo de 12 meses para fazer a doação.

Segurança do processo
Todas essas recomendações do Ministério da Saúde reforçam a segurança do processo de doação de sangue, seja para quem vai doar, seja para quem vai receber. Por isso, é importante que as pessoas compreendam esses prazos e essas regras, como forma de respeito a um bem maior: a vida e a saúde.

22/09/2017

Por que doar sangue?

Visualizações: 30

O sangue humano não pode ser fabricado artificialmente, por isso, a doação é um ato de vital importância, e que ajuda a salvar vidas.

Veja alguns motivos para fazer sua doação de sangue:

- Uma doação pode salvar até quatro vidas
- O volume doado é reposto naturalmente pelo organismo em até 24 horas
- O doador não se expõe a nenhum risco de contaminação, pois todo o material é esterilizado e descartável
- Doar sangue não engorda, nem emagrece, não afina ou engrossa o sangue
- Não é preciso estar em jejum
- O procedimento de doação leva pouco tempo
- O volume coletado, por padrão internacional, é de apenas 450 ml
- O sangue doado é fundamental no tratamento dos pacientes
- Doar sangue é um ato humanitário, traz uma satisfação interior e faz bem a todos

Muitos pacientes podem ser beneficiados com o sangue que você doar:

- Vítimas de diversos acidentes
- Pacientes com câncer ou tumores
- Pacientes hemofílicos
- Pacientes que serão submetidos a cirurgias-
-Recém nascidos prematuros

E você sabia?

- Um em cada dez pacientes hospitalizados necessitam de transfusão sanguínea
- Um bebê prematuro necessita de 1 a 4 unidades de concentrado de hemácias (um tipo de componente sanguíneo) durante o período de internação
- As bolsas coletadas anualmente no Brasil, ao todo 3,5 milhões, são insuficientes para atender à demanda
- O ideal, segundo o Ministério da Saúde, seria alcançar 5,7 milhões de bolsas de sangue por ano

22/09/2017

O que acontece com o sangue doado?

Visualizações: 35

1- Processamento do Sangue
Nesse setor, o sangue é processado em hemocomponentes. Atraves da separação do sangue por centrifugação dividimos em componente- concentrado de hemácias, plasma fresco, crioprecipitado e concentrado de plaquetas. Estes componentes são armazenados em condições diferentes para que se obtenha o melhor aproveitamento. O concentrado de hemácias fica entre 2-6C; plasma e o crio congelados a -20C as plaquetas em agitação continua em temperatura de 22C


2 - Pré-estoque
Após o processamento do sangue e identificação dos hemocomponentes, as bolsas são armazenadas no pré-estoque aguardando os resultados dos testes laboratoriais.


3 - Imunohematologia e Sorologia
O laboratório de Imunohematologia realiza a tipagem sanguínea  por exames muito especializados (  fenotipagem ABO, determina o fator RH, realiza pesquisa de D-fraco, detecta anticorpos irregulares) e investiga a presença de hemoglobina anormais . Os exames sorologicos  realizados para identificar doenças passiveis de transmissão sanguinea previstos na legislação brasileira seguindo padrões internacionais de qualidade laboratorial, os restes avaliam Hepatite B e C, HIV, doença de chagas, sífilis e HTLV-è utilizado metodologia muito sensível para garantir a segurança  transfusional. . Caso seja verificada alguma alteração, em qualquer teste realizado, as bolsas são descartadas e o doador é comunicado, para prosseguir com novos exames.


4 - Estoque
As bolsas liberadas e rotuladas são encaminhadas ao estoque que abastece os hospitais conveniados da região e as cinco agências transfusionais do Banco de Sangue em Caxias do Sul. A partir deste momento, as bolsas ficam disponíveis para transfusão de acordo com a validade de cada hemocomponente( concentrado de hemácias 35 dias, plasma e crio 12 meses e plaquetas 5 dias)


5 - Transfusão
No Banco de Sangue: são realizadas transfusões ambulatoriais, mediante agendamento, em pacientes que não necessitam de internação. Para isso, é coletada uma amostra antecipadamente para realizar as provas de compatibilidade com o sangue  a ser transfundido. Essa amostra pode ser coletada domiciliar, conforme solicitação do paciente ou familiar.


Nos Hospitais: as transfusões ocorrem por meio das Agências Transfusionais do Banco de Sangue instaladas nos hospitais Círculo, Unimed, Saúde, Virvi Ramos e Pompéia. Nesses locais, o atendimento é 24h.

22/09/2017

Doação de Sangue Raro

Visualizações: 25

Os chamados sangue raros podem estar presentes em menos de 1% da população. Estão relacionados a outros grupos sanguíneos  diversos dos que estamos familiarizados (ABO e RH). Se um paciente com sangue raro necessita de uma transfusão, precisamos em curto espaço de tempo localizar este doador. Desde 2008, quando foi criado o banco de doadores fenotipados (assim que chamamos – fenótipo raro), acumulamos cerca de 5 mil doadores de sangue raro. Neste grupo são incluídos doadores com estas características. Este cadastro precisa de continua renovação para mantermos um mínimo seguro dos fenótipos mais raros. Há possibilidade de intercambio destas doações com outras instituições em situações de necessidade. Os doadores fenotipados são avisados da sua condição especial e orientados da sua importância (doador de sangue sempre fazendo a diferença)!

21/09/2017

De quanto em quanto tempo posso doar sangue?

Visualizações: 38

Você é muito importante e não podemos descuidar da sua saúde, doar sangue deve ser muito seguro, por este motivo há um limite que deve ser obedecido.

Em 24 horas após a doação o plasma já é reposto e os glóbulos vermelhos em 4 semanas. Para facilitar essa reposição deve-se tomar muito líquido logo após a doação. Todos os glóbulos vermelhos possuem no seu interior uma molécula de ferro, após a doação é iniciado um processo de retirada de ferro da nossa reserva para fabricar mais glóbulos vermelhos; quando recuperamos o que foi perdido há mecanismos de parada de fabricação. Ou seja, o corpo produz somente o sangue necessário para a reposição em nosso organismo, nem mais, nem menos. Porém para o organismo atingir o nível de ferro que apresentava antes da doação, são necessários de 40 a 60 dias para homens e de 50 a 90 dias para as mulheres. Por isso o intervalo mínimo para a doação..
Por isso, homens podem doar sangue até quatro vezes por ano, com intervalo de 60 dias entre cada doação. Já as mulheres podem doar três vezes ao ano, com intervalo de 90 dias.

No caso de doação de plaquetas por aférese, a medula óssea do doador repõe a quantidade facilmente. Doadores de plaquetas podem repetir a doação a cada 48 horas, sem danos, em até 24 vezes ao ano.