banco de sangue
blog

22/09/2017

Quais as etapas da doação de sangue?

Visualizações: 1540


Conheça melhor as 5 etapas da doação de sangue:

1ª - Cadastro do Doador
O processo de doação se inicia na recepção é realizado o cadastro do doador mediante a apresentação de documento oficial com foto.

2ª - Triagem Hematológica
Nesta etapa é realizado teste de hemoglobina para identificar a anemia, também são verificados os sinais vitais do doador( frequência cardíaca, pressão arterial, temperatura )

3ª - Triagem Clínica
O doador passa por uma entrevista com um profissional capacitado( triador) para avaliar seus hábitos comportamentais e suas condições de saúde. Este é um momento muito importante para que a doação seja segura. Nesta etapa, o triador também define o volume a ser coletado conforme peso do doador.

4ª - Coleta de Sangue-Doação propriamente dita
Depois de constatar que o voluntário está apto a doar, é realizada uma coleta de sangue. O doador é posicionado em uma cadeira semi-sentado, uma veia de um dos braços é puncionada e a coleta é realizada numa bolsa plástica que contém uma solução anticoagulante . Uma amostra do seu sangue é  coletado para a realização de exames de triagem sorológica( reste de seis doenças  pesquisa de grupo sanguíneo.

5ª Lanche
O lanche é servido após a doação para repor as necessidades nutricionais imediatas do doador, o mais importante é a reposição líquida. Nesse momento, é necessário permanecer   no mínimo 15 minutos  .

22/09/2017

Por que doar sangue?

Visualizações: 754

O sangue humano não pode ser fabricado artificialmente, por isso, a doação é um ato de vital importância, e que ajuda a salvar vidas.

Veja alguns motivos para fazer sua doação de sangue:

- Uma doação pode salvar até quatro vidas
- O volume doado é reposto naturalmente pelo organismo em até 24 horas
- O doador não se expõe a nenhum risco de contaminação, pois todo o material é esterilizado e descartável
- Doar sangue não engorda, nem emagrece, não afina ou engrossa o sangue
- Não é preciso estar em jejum
- O procedimento de doação leva pouco tempo
- O volume coletado, por padrão internacional, é de apenas 450 ml
- O sangue doado é fundamental no tratamento dos pacientes
- Doar sangue é um ato humanitário, traz uma satisfação interior e faz bem a todos

Muitos pacientes podem ser beneficiados com o sangue que você doar:

- Vítimas de diversos acidentes
- Pacientes com câncer ou tumores
- Pacientes hemofílicos
- Pacientes que serão submetidos a cirurgias-
-Recém nascidos prematuros

E você sabia?

- Um em cada dez pacientes hospitalizados necessitam de transfusão sanguínea
- Um bebê prematuro necessita de 1 a 4 unidades de concentrado de hemácias (um tipo de componente sanguíneo) durante o período de internação
- As bolsas coletadas anualmente no Brasil, ao todo 3,5 milhões, são insuficientes para atender à demanda
- O ideal, segundo o Ministério da Saúde, seria alcançar 5,7 milhões de bolsas de sangue por ano

22/09/2017

Para quem vai o meu sangue doado?

Visualizações: 246


O sangue depois da doação necessita vários processos para estar apto a ser transfundido. Após cumprido estes requisitos os hemocomponentes ficam estocados e disponibilizados para os pacientes que estão internados em hospitais de Caxias e região, ou eventualmente que fazem transfusões ambulatoriais no Banco de Sangue ou em emergências dos hospitais. As especificidades técnicas, bem como de tipagem sanguínea vão definir o destino da doação.

22/09/2017

O que acontece com o sangue doado?

Visualizações: 735

1- Processamento do Sangue
Nesse setor, o sangue é processado em hemocomponentes. Atraves da separação do sangue por centrifugação dividimos em componente- concentrado de hemácias, plasma fresco, crioprecipitado e concentrado de plaquetas. Estes componentes são armazenados em condições diferentes para que se obtenha o melhor aproveitamento. O concentrado de hemácias fica entre 2-6C; plasma e o crio congelados a -20C as plaquetas em agitação continua em temperatura de 22C


2 - Pré-estoque
Após o processamento do sangue e identificação dos hemocomponentes, as bolsas são armazenadas no pré-estoque aguardando os resultados dos testes laboratoriais.


3 - Imunohematologia e Sorologia
O laboratório de Imunohematologia realiza a tipagem sanguínea  por exames muito especializados (  fenotipagem ABO, determina o fator RH, realiza pesquisa de D-fraco, detecta anticorpos irregulares) e investiga a presença de hemoglobina anormais . Os exames sorologicos  realizados para identificar doenças passiveis de transmissão sanguinea previstos na legislação brasileira seguindo padrões internacionais de qualidade laboratorial, os restes avaliam Hepatite B e C, HIV, doença de chagas, sífilis e HTLV-è utilizado metodologia muito sensível para garantir a segurança  transfusional. . Caso seja verificada alguma alteração, em qualquer teste realizado, as bolsas são descartadas e o doador é comunicado, para prosseguir com novos exames.


4 - Estoque
As bolsas liberadas e rotuladas são encaminhadas ao estoque que abastece os hospitais conveniados da região e as cinco agências transfusionais do Banco de Sangue em Caxias do Sul. A partir deste momento, as bolsas ficam disponíveis para transfusão de acordo com a validade de cada hemocomponente( concentrado de hemácias 35 dias, plasma e crio 12 meses e plaquetas 5 dias)


5 - Transfusão
No Banco de Sangue: são realizadas transfusões ambulatoriais, mediante agendamento, em pacientes que não necessitam de internação. Para isso, é coletada uma amostra antecipadamente para realizar as provas de compatibilidade com o sangue  a ser transfundido. Essa amostra pode ser coletada domiciliar, conforme solicitação do paciente ou familiar.


Nos Hospitais: as transfusões ocorrem por meio das Agências Transfusionais do Banco de Sangue instaladas nos hospitais Círculo, Unimed, Saúde, Virvi Ramos e Pompéia. Nesses locais, o atendimento é 24h.

22/09/2017

Doação de Sangue Raro

Visualizações: 725

Os chamados sangue raros podem estar presentes em menos de 1% da população. Estão relacionados a outros grupos sanguíneos  diversos dos que estamos familiarizados (ABO e RH). Se um paciente com sangue raro necessita de uma transfusão, precisamos em curto espaço de tempo localizar este doador. Desde 2008, quando foi criado o banco de doadores fenotipados (assim que chamamos – fenótipo raro), acumulamos cerca de 5 mil doadores de sangue raro. Neste grupo são incluídos doadores com estas características. Este cadastro precisa de continua renovação para mantermos um mínimo seguro dos fenótipos mais raros. Há possibilidade de intercambio destas doações com outras instituições em situações de necessidade. Os doadores fenotipados são avisados da sua condição especial e orientados da sua importância (doador de sangue sempre fazendo a diferença)!